Atração do Planeta Terra, banda esteve no Brasil há seis anos para uma série de shows dentro do extinto Tim Festival. Saiba o que rolou e assista ao show do Rio de Janeiro.

Primeira banda a se disseminar através da internet, o The Strokes é, provavelmente, o maior nome do “novo rock”. Surgido em 1999, os nova-iorquinos entraram na década de 2000 como a grande promessa da música. O disco de estréia, o aclamado Is This It, saiu sob grande expectativa criada a partir de The Modern Age, um EP de três músicas que encantou as publicações especializadas da época. Is This It é até hoje considerada a obra prima dos Strokes. A época de seu lançamento, o álbum recebeu ótimas críticas e em 2009 foi considerado o disco da década pela revista New Musical Express.

Em outubro de 2005, Nikolai Fraiture, Albert Hammon Jr, Nick Valensi, Fabrizio Moretti e Julian Casablancas desembarcaram no Brasil para quatro shows no extinto Tim Festival. Prestes a lançar seu terceiro disco, o aclamado First Impressions of Earth, o grupo chegava ao país ainda com a turnê do disco anterior.

A estreia nos palcos brasileiros aconteceu no Rio de Janeiro, com duas apresentações, nos dias 21 e 22 de outubro. E foi na cidade que a banda apresentou pela primeira vez as músicas do novo disco para os seus fãs. As canções já estavam vazando na internet, mas o lançamento oficial ainda estava por vir. “Razorblade”, “Heart in a Cage”, “Hawaii-Aloha” e os hits “Juicebox” e “You Only Live Once” tiveram sua estreia ao vivo no show do MAM. Mas não é porque o novo disco estava a caminho que os sucessos iriam ficar de fora. Nos shows que fizeram por aqui, os Strokes tocaram nada menos que todas as músicas de Is This It – incluindo a “proibida” “New York City Cops” – e os melhores momentos de Room on Fire, o segundo disco.

Para a nossa sorte, a apresentação  foi transmitida pela MTV e você pode assistí-lo na íntegra – exceto “Razorblade” e “Heart in a Cage”, que ficaram de fora – no player abaixo. Se quiser fazer o download, nossos parceiros do The Old Yellow Bricks dão uma ajudinha.

O segundo show no Rio nem era para ter acontecido, mas em virtude da grande procura de ingressos, a organização do Tim Festival adicionou uma nova data à programação do festival, que contaria com shows dos Strokes e do Kings of Leon, duas das atrações mais procuradas do evento.

Diferentemente do público e da imprensa, os Strokes não curtiram o primeiro show brasileiro, no Museu de Arte Moderna. Ou, pelo menos, gostaram bem mais do segundo, o do Armazém do Cais do Porto, incendiado por uma platéia em número igual, 4 mil pessoas, e com a média de idade bem mais perto da adolescência. “Ontem estávamos mais nervosos, travados, havia o pessoal da família. Não ia sair um show perfeito, mesmo. Mas serviu para nos confrontarmos com as músicas novas. Podemos dizer que na sexta elas deixaram de ser estranhas para nós. Deram-nos confiança de que o disco novo vai ser bom”, disse Julian Casablancas, no hotel, horas antes do show no Porto, no sábado.Lúcio Ribeiro para Revista Bizz

Banda tocou para mais de 20 mil pessoas em São Paulo (FOTO: Daniel Mitsuo)

Do Rio, a banda seguiu para São Paulo onde se apresentou para 24 mil pessoas ao lado do Kings of Leon, M.I.A. e Arcade Fire. O vocalista Julian Casablancas ficou preocupado com o andamento do show devido ao resfriado que pegou no Rio. Ninguém nem percebeu.

Hit após hit os Strokes angariaram uma goleada como grand finale do festival. Subiram ao palco à meia-noite em ponto e em uma hora cravada passaram um repertório de encher os ouvidos –”12:51″, New York City Cops”, “Soma”, “Automatic Stop”, “Last Nite”, “Is This It”, “Barely Legal” e “Take It Or Leave It”. Rechearam esta primeira hora com algumas músicas novas, do terceiro disco, que sai em janeiro de 2006. A dada altura, o baixista Nikolai Fraiture desdobrou uma bandeira brasileira no palco e a colocou sobre uma das caixas de retorno.UOL

Última parada da banda no Brasil foi em Porto Alegre (Foto: Ricardo Lage)

A primeira turnê brasileira dos Strokes se encerrou com um show pra lá de insano em Porto Alegre.

Aconteceram dois shows dos Strokes em Porto Alegre. Um que só a banda viu, caótico, dando tudo errado, cheio de incidentes. E outro que o público conferiu: insano, intenso, cheio de energia. A cada final de canção, Julian corria até a bateria e tomava um copo de uísque… cheio de chá. Até a hora em que parei de contar, no meio do show, foram uns dez. Ele engolia e segurava a garganta, como se estivesse com dor. Fabrizio espancava e olhava para o cara da mesa de som, como se pedisse ajuda. Nick Valensi passou o tempo todo amaldiçoando a guitarra, até jogá-la para trás do palco, espatifando-a em duas. O que para a banda era um problema, para o público tinha cara de atitude rock’n'roll.Lúcio Ribeiro para Revista Bizz

Seis anos depois, a banda volta ao Brasil para apresentação única em São Paulo, como atração principal do Planeta Terra Festival. Longe do hype inicial que impulsionou a banda ao mundo, o quinteto traz o show de Angles, seu último álbum, recebido com opiniões diversas pela crítica e fãs. Os ingressos estão esgotados, mas quem vai ficar em casa pode acompanhar tudo ao vivo pelo site do Terra e tudo que vai acontecer no Playcenter no dia 5 de novembro aqui no Temporada de Festivais.