Filas enormes, gritaria e muito choro. O show da diva do pop levou fãs do Brasil inteiro para pular e dançar em um dos maiores símbolos do Rio de Janeiro, a Apoteose.

Não faltavam faixas, camisetas e até colares da princesinha do pop na fila para a Pista Premium, que impressionantemente, chegava a dar voltas no quarteirão. O tempo parecia que não ia dar trégua mesmo, continuava nublado e a chuva fininha ia e voltava. Mas isso não ia conseguir tirar a animação de quem teve que esperar por 10 anos pela volta de Britney Spears. Na fila, eu e meu amigo, também um fã da cantora, conhecemos gente de Maceió e Porto Alegre, praticamente dois extremos do Brasil, mas que não mediram forças para presenciar este momento.

Durante o final de semana, cerca de 500 fãs não arredaram o pé da porta do hotel em que a cantora estava hospedada. Ela chegou a aparecer em sua sacada para jogar uma bandeira, onde dizia “I love my Rio fans” (Eu amo meus fãs do Rio). Acabou em vários pedaços, rasgada pelos fãs ensandecidos.

Fila começou há semanas na porta da Apoteóse (FOTO: G1)

De qualquer forma todos estavam eram ansiosos para o show. Eu e meu amigo chegamos cedo ao local, por volta de uma e meia da tarde (o show começava as nove). De início, tudo estava tranqüilo. A fila era quilométrica, e para nossa infelicidade, estávamos um pouquinho longe. Mas pelo menos todos estavam organizados. Depois de umas três horas de espera em pé, começou a correria. Até agora não sei que doidera foi aquela, os portões só abriam a partir das cinco horas. Depois disso, a pseudo-organização acabou e passamos por vários empurra-empurra e furões de fila até a entrada.

Só fomos ver sinal de organização quando estávamos quase entrando. Um dos funcionários do show começou a enfileirar as pessoas uma por uma e na entrada estava tudo lindo, funcionários por todos lados para tentar impedir que as pessoas corressem. Quem disse? Corremos mesmo assim, loucos pra pegar um lugar onde pelo menos desse para enxergar o palco. E quando finalmente entramos, foi uma alegria só. Admito que nunca tinha ficado tão próxima do palco em um show internacional.

O mormaço era o que mais castigava na espera e conforme foi chegando a hora, muitas pessoas desistiam de ficar na multidão e saíam. Como show de abertura, as meninas do Copacabana Club deram uma de DJ’s e arrebentaram tocando várias músicas para dançar.

Britney se apresentou na Praça da Apoteóse na terça. (FOTO: Felipe Panfili/AgNews)

Oito e meia. Faltava só meia hora para o momento tão esperado e os telões que ficam nas laterais do palco começaram a subir para mostrar o relógio da contagem regressiva. Pontualidade foi, sem dúvida, um dos méritos do show. Calafrios de ansiedade. E começa o show. O nome da turnê “Femme Fatale” aparece no telão e a gritaria rola solta. No vídeo de abertura, Britney é uma criminosa que foge de policiais com uma arma na mão. Logo depois, surge a cantora levada por seus dançarinos vestidos de policiais em “Hold it against me”, e ela finge ser “eletrocutada” em uma cadeira elétrica. Em seguida, ela vai parar atrás das grades em “Up and down” e continua com o enredo até o fim do primeiro bloco.

Foi só do meio para o final que vimos Britney sair do script e mostrar um pouco mais de espontaneidade para o público. Os fãs haviam preparado algumas surpresas para impressionar a cantora e as idéias funcionaram. Desde o começo, era quase impossível ouvir a voz da cantora nas músicas (a voz é em playback, como todo mundo sabe) de tanto que os fãs cantavam. Mas em “I Wanna Go”, além da empolgação de sempre, os fãs encheram bexigas coloridas e o público ficou enfeitado com a cores, algo que deixou a Britney impressionada e arrancou algumas frases fora do script, como “Vocês são maravilhosos”.

Show contou com a participação de um fã em "Lace & Leather" (FOTO: Ego)

Mas o melhor ainda estava por vir. Na fila para o show, fãs entregavam para todos uma folha de papel com “OH” escrito, refrão de “Till the World Ends”. E no momento da música, todos levantaram as “plaquinha”, fazendo a alegria de Britney e deixando o show ainda mais memorável pra cantora.

Missão cumprida. Conseguimos fazer com que esse show não fosse igual aos outros e independente do tipo de interação que ela tem com a platéia, Britney dá um verdadeiro espetáculo, algo no qual ela é mestre em fazer. Quando acabou eu estava suada, cansada, mas feliz. Se eu pudesse resumir a emoção deste show em apenas uma palavra, eu usaria a fala da própria Britney: “Épico”